Geral

FEMINICÍDIO! Ex-companheiro de Ianny Marry, morta dentro da própria residência em Cajazeiras, é preso por cumprimento de mandado de prisão temporária, na tarde deste sábado (21/10).

Por - 22 de outubro de 2023 - 02:01

O suspeito havia sido ouvido pela autoridade policial, no mesmo dia do crime, e liberado em seguida. Contudo, as investigações apontaram ter sido ele o autor do feminicídio.

FEMINICÍDIO! Ex-companheiro de Ianny Marry, morta dentro da própria residência em Cajazeiras, é preso por cumprimento de mandado de prisão temporária, na tarde deste sábado (21/10).

Fonte: imagem reproduzida pela página pessoal da vítima no Facebook.

Após enorme repercussão em todo o Estado da PB,  o ex-companheiro de Ianny Marry, vítima de feminicídio no último domingo (15/10/2023), teve a sua prisão temporária decretada, sendo apontado até o momento, como sendo o principal suspeito de haver praticado o crime contra a vítima, fato ocorrido no final de semana passado.

O suspeito, de 26 anos,  que convivera maritalmente com a vítima por um período de seis anos, teve o cumprimento de sua prisão temporária efetuado pela Polícia Civil, através do Grupo Tático Especial (GTE), na tarde deste sábado, dia 21/10/2023.

Porém, vale ressaltar que a prisão temporária tem um prazo legal de cumprimento de no máximo 30 dias, podendo após este período, ser ou não convertida em prisão preventiva, caso a justiça entenda que assim seja necessário. As investigações seguem em andamento e devem convergir para a total elucidação do caso.

No que diz respeito ao teor do primeiro depoimento prestado pelo suspeito à autoridade policial, quando fora ouvido e naquela ocasião, liberado em seguida, fora repassado à imprensa que este conteúdo será mantido em sigilo até que se conclua o inquérito policial, com o objetivo de não atrapalhar o processo de investigação adotado pela Polícia Civil.

 

 

Para entender o caso:

Ianny Marry, foi brutalmente assassinada e teve o seu corpo encontrado sem vida, já em avançado estado de decomposição, no interior de sua residência, na tarde do último domingo (15/10/2023). O cadáver estava despido, com pés e mãos atados, além de estar amordaçado. O interior do imóvel apresentava visíveis sinais de que no local, havia sido travada uma intensa luta corporal, o que culminou com a morte da vítima, por asfixia mecânica, segundo informado pelos peritos que lá estiveram, e posteriormente confirmado à imprensa pela delegada responsável, Dra. Ana Valdenice.

Na mesma semana, poucos dias após o ocorrido, o atual namorado da vítima foi ouvido em depoimento pelos investigadores, porém o conteúdo não foi revelado a fim de não atrapalhar o andamento das investigações, as quais naqueles dias, estavam apenas se iniciando. Ressalte-se que este primeiro depoimento fora prestado pelo rapaz com quem ela mantinha um relacionamento até o dia de seu feminicídio ser consumado. O suspeito preso neste sábado (21/10/2023), do qual trata esta matéria, não é a mesma pessoa.

O feminicídio praticado contra Ianny teve grande repercussão e causou intensa comoção, tanto na população cajazeirense, quanto na de cidades circunvizinhas; inúmeros registros de condolências foram prestados aos amigos e familiares, através das redes sociais.

Da Redação.

Notícias relacionadas