Wagner Montes, apresentador e deputado federal eleito, morre aos 64 anos no Rio

Por - 27 de janeiro de 2019 - 15:38

O parlamentar estava internado há dois meses para tratamento de uma infecção urinária.

Wagner Montes, apresentador e deputado federal eleito, morre aos 64 anos no Rio

Morreu na manhã deste sábado (26), por volta das 11h30, o deputado federal eleito Wagner Montes (PRB). O parlamentar e apresentador de TV tinha 64 anos e estava internado há dois meses no Hospital Barra D’Or para o tratamento de uma infecção urinária. A causa da morte foi choque séptico e sepse abdominal.

Em novembro de 2018, o deputado já tinha sofrido um infarto.

O velório será aberto ao público e acontecerá neste sábado (26), no saguão do Palácio Tiradentes, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), das 20h até o domingo às 13h.

Após o velório, o corpo do deputado seguirá para o crematório do cemitério da Penitência, onde acontecerá a cerimônia de despedida fechada para a família e os amigos mais próximos.

Wagner Montes foi eleito deputado federal nas últimas eleições pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), com 65.868 votos. Ele estava no terceiro mandato na Alerj.

Casado há 30 anos com a apresentadora Sônia Lima, Wagner também era advogado e apresentava telejornais na TV Record.

Repercussão

O prefeito Marcelo Crivella decretou luto oficial de três dias na cidade do Rio de Janeiro em homenagem ao político. Para o chefe do executivo municipal, a trajetória de Wagner Montes “é um exemplo da vocação e da natureza do cidadão fluminense”, disse Crivella, em nota divulgada à imprensa.

“Hoje, há em cada olhar uma lágrima, em cada lar uma oração e em cada coração um voto de pesar e de saudade, pelo falecimento do líder, servidor do povo e amigo de todos, Wagner Montes, que a morte nos arrebatou inesperadamente”, comentou o prefeito Marcelo Crivella.

Presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT) expressou “profunda tristeza” pela morte do “amigo, irmão e companheiro de trabalho”.

“A alegria do Wagner, sua capacidade de trabalho e especialmente a habilidade de driblar as dificuldades sempre foram características marcantes de sua personalidade”, disse Ceciliano.

“Hoje perdemos uma grande figura, mas o céu ficará mais divertido. Siga em paz, meu irmão. Que deus conforte a família neste momento de dor, toda minha solidariedade à esposa do Wagner, filhos, amigos e colegas de trabalho”, emendou.

Colega de Alerj e também eleito para a Câmara dos Deputados, Marcelo Freixo (PSOL) tuitou estar “muito triste”.

O Deputado Estadual Márcio Pacheco (PSC) também prestou homenagem pelas redes sociais. “Minhas condolências aos familiares”.

Biografia

Criado no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o político teve uma infância pobre. Na juventude trabalhou como garçom, vendedor de camisas e açougueiro.

Notícias relacionadas