Ônibus do Boca é atacado, elenco é ferido e final da Libertadores é adiada

Por - 24 de novembro de 2018 - 19:08

Ônibus do Boca é atacado, elenco é ferido e final da Libertadores é adiada

A final da Copa Libertadores da América foi adiada mais uma vez. Com alguns de seus jogadores feridos após ataques da torcida do River Plate ao ônibus que levava a delegação ao estádio Monumental de Nuñez, o Boca Juniors não aceitou entrar em campo no horário marcado (18h, de Brasília) para disputar o título do torneio neste sábado (24). O jogo foi transferido momentaneamente para as 19h de Brasília.

Copos, garrafas, paus e pedras foram lançados pelos fãs do River, quebrando vidros e ferindo atletas. Diante da confusão, a polícia teve que entrar em ação para conter os vândalos. O gás de pimenta utilizado na briga atingiu ao menos cinco atletas do Boca.

Os atacantes Ábila, Beneddeto e Tevez teriam passado mal nos vestiários do estádio por causa dos efeitos do gás de pimenta, segundo o repórter Fernando Caetano, do Fox Sports. Além disso, o capitão Pérez foi ferido por estilhaços de vidro.

Por conta disso, dirigentes do clube xeneize defenderam formalmente o adiamento da partida. A menos de uma hora, membros das Conmebol e dirigentes das equipes se reuniram nos vestiários para definir o caso. A informação foi divulgada pelos canais Fox Sports e TNT, sendo confirmada posteriormente pelo UOL Esporte.

Às 17h42 (de Brasília), a Conmebol confirmou o adiamento em uma hora após avaliar o caso e visitar os jogadores feridos no vestiário do Boca Juniors. “Nos atiraram de tudo”, disse Cali Izquierdoz, do Boca Juniors, ao Olé. O ex-dirgente do clube Juan Carlos Crespi afirmou: “Nos jogaram gás pimenta, pedras, tudo”. Autor de um dos gols na primeira partida, Benedetto disse: “Jogaram gás de pimenta”.

Alguns jogadores do Boca, como Tevez, Zárate e Emmanuel Más, chegaram ao estádio com os rostos cobertos pela camisa.

É importante lembrar que, assim como no jogo de ida da decisão, a partida terá torcida única, desta vez do River Plate.

Para chegar ao estádio, os torcedores deviam passar por várias barreiras de seguranças, que estão conferindo os ingressos e verificando os dados. A entrada dos torcedores teve correria e confusão. Alguns foram detidos ao tentar ‘furar’ a barreira e ingressar no estádio.

La Red, rádio da Argentina, teve acesso às imagens do vestiário do Boca Juniors e mostrou os jogadores recebendo atendimento médico. O capitão do clube, Pablo Pérez, mostra um suposto corte no braço esquerdo, como mostra o tuíte abaixo.

Boca foi eliminado por confusão em 2015 

A Conmebol excluiu o Boca Juniors da Libertadores de 2015 por conta dos incidentes ocorridos no intervalo do Superclássico argentino disputado em La Bombonera pelas oitavas de final. A partida estava empatada por 0 a 0 no momento da confusão.

No intervalo ada partida, o elenco do River Plate foi atingido por um gás tóxico que causou queimaduras de primeiro grau em quatro atletas e deixou Driussi com uma encefalite (inflamação no cérebro).Para punir o Boca Juniors, a Conmebol aplicou o regulamento disciplinar da entidade.O time xeneize chegou a entrar com recurso na entidade, mas foi negado.  Além da eliminação, o Boca foi punido com quatro partidas com portões fechados, quatro sem torcida como visitante e multa de US$ 200 mil.

Fonte:https://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/libertadores/ultimas-noticias/2018/11/24/onibus-do-boca-e-atingido-por-pedras-e-gas-de-pimenta-em-chegada-a-final.htm

Notícias relacionadas