Suspeito de balear policiais da PRF é morto em ação de captura, na PB

Por - 25 de outubro de 2018 - 17:00

Ação aconteceu em conjunto entre as Polícias Militar, Civil e Rodoviária. Ação que baleou PRFs aconteceu na quarta-feira (24).

Suspeito de balear policiais da PRF é morto em ação de captura, na PB

Helicóptero da PRF auxiliou ação em conjunta com as Polícias Militar e Civil — Foto: PRF/Divulgação

Helicóptero da PRF auxiliou ação em conjunta com as Polícias Militar e Civil — Foto: PRF/Divulgação

Um homem suspeito de balear policiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na quarta-feira (24), morreu na manhã desta quinta-feira (25), em um confronto com a polícia para fazer a captura do suspeito. As Polícias Militar e Civil apoiaram a PRF no momento da ação, que aconteceu em uma mata, em Mamanguape, Litoral Norte da Paraíba.

Durante a fuga na noite da quarta-feira, o suspeito teria roubado um veículo, entre Mamanguape e Camaratuba. A PRF recebeu a informação, o carro foi avistado por uma das equipes, o suspeito saiu da rodovia, abandonou o veículo e entrou em uma mata. Na tentativa de captura, ele reagiu com tiros.

Os policiais que trabalhavam no posto da PRF de Mamanguape foram feridos por tiros durante uma ação na tarde de quarta-feira. Os agentes foram atingidos enquanto abordavam um homem que tentava fugir do estado.

Segundo a assessoria de comunicação da PRF, os policiais receberam a informação de que um homem suspeito de ter envolvimento no homicídio de um policial militar da Paraíba passaria pelo local em fuga. Quando abordaram o suspeito, ele reagiu atirando contra a equipe.

O suspeito conseguiu fugir e foi morto nesta quinta-feira. Ainda de acordo com a assessoria da Polícia Rodoviária Federal, ele já era considerado procurado pela Secretaria de Segurança Pública da Paraíba.

Um dos policiais feridos foi encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Segundo a assessoria da PRF, ele foi atingido por tiros de raspão e já recebeu alta da unidade hospitalar. Outros dois policiais foram encaminhados para hospitais particulares e não há informações sobre o estado de saúde.

Fonte: G1 Paraíba.

Notícias relacionadas