Hospitais universitários federais na PB devem receber mais de R$ 9,7 milhões

Por - 24 de agosto de 2018 - 16:43

Disponibilização de recursos foi publicada no Diário Oficial da União pelo Ministério da Saúde.

Hospitais universitários federais na PB devem receber mais de R$ 9,7 milhões

Hospital Universitário Lauro Wanderley, da UFPB, deve receber cerca de R$ 3 milhões em recursos para custeio (Foto: Rizemberg Felipe/Jornal da Paraíba/Arquivo)

Hospital Universitário Lauro Wanderley, da UFPB, deve receber cerca de R$ 3 milhões em recursos para custeio (Foto: Rizemberg Felipe/Jornal da Paraíba/Arquivo)

Mais de R$ 9,7 milhões serão destinados para investimento e custeio dos hospitais universitários federais da Paraíba, pelo Ministério da Saúde, conforme portarias publicadas no Diário Oficial da União (DOU), desta quinta-feira (23). Os recursos fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF).

Para o custeio foi estabelecido um recurso orçamentário de cerca de R$ 579 mil para o Hospital Universitário Júlio M. Bandeira de Melo, no campus de Cajazeiras da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), cerca de R$ 3,3 milhões para o Hospital Universitário Alcides Carneiro, no campus de Campina Grande da UFCG, e R$ 3 milhões para o Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa.

Já para investimento, devem ser disponibilizados R$ 780 mil para o hospital universitário da UFCG, em Cajazeiras, cerca de 1,3 milhões para o hospital universitário da UFCG, em Campina Grande, e cerca de R$ 589 mil para o hospital da UFPB, em João Pessoa.

O valor total de recursos disponibilizados para custeio dos hospitais universitários federais na Paraíba deve ser de R$ 7.044.440,44, enquanto que para investimento a quantia é de 2.711.501,44, totalizando R$ 9.795.941,88.

O programa de reestruturação foi instituído em 2010 e dispõe sobre o financiamento compartilhado dos hospitais universitários federais, entre as áreas de educação e saúde. O REHUF também estabeleceu um regime de pactuação global com essas unidades de saúde.

Notícias relacionadas