‘Tem gente que não sabe quanto custa manter um hospital’, dispara João Azevedo criticando proposta de Maranhão e Lucélio

Por - 15 de agosto de 2018 - 15:17

‘Tem gente que não sabe quanto custa manter um hospital’, dispara João Azevedo criticando proposta de Maranhão e Lucélio

O candidato ao governo da Paraíba pelo PSB, João Azevedo, concedeu entrevista a Rádio Tabajara na tarde desta quarta-feira, 15, e falou sobre diversas obras e serviços implantados e complementados durante as duas gestões do governador Ricardo Coutinho (PSB). Ele falou sobre as construções de 14 hospitais e escolas, além dos serviços prestados nessas unidades de saúde.

Ele falou sobre a ampliação de negociação e apoio a empresas que desejem se instalar na Paraíba, com a finalidade de gerar mais empregos, “quem gera emprego São as empresas, não é o governo, mas a gestão pode apoiar e atrair empresas”, disse.

João Azevedo falou sobre a ampliação dos serviços de saúde no Sertão do estado, em vez de apresentar propostas como seus adversários que falam sobre construir uma unidade do Hospital De Trauma do Sertão.

“Esses candidatos não sabem quanto custa um hospital, em vez de criar um novo hospital, proponho ampliar o que já temos lá, podemos ampliar a prestação de serviços de traumatologia e outras áreas que já tem atendimento especializado.

Sobre projetos na área de recursos hídricos, ele disse que “se o governo federal não viabilizar recursos para o terceiro eixo da transposição do São Francisco para o Rio Piancó, o governo fará porque já temos projeto e sabemos como fazer, já equacionarmos e afirmo que o terceiro eixo será feito independente de bloqueio do governo federal”.

O candidato disse que vai qualificar os servidores públicos a exemplo dos policiais civis e militares, e Corpo de Bombeiros. Ele destacou as promoções feitas na gestão de Ricardo Coutinho, comparando com a aquisição de equipamentos e promoções de gestões passadas.

Questionado sobre repasse financeiro aos entes estaduais, como os Poderes Legislativo e Judiciário. Ele destacou que o repasse é feito de forma responsável e que, nos últimos anos o repasse de duodécimo aumentou mais de 80% na gestão do PSB, enquanto a receita aumentou menos de 30%, no mesmo período. João defendeu uma reunião entre os poderes para afinar as relações e estabelecer melhor o repasse.

“Tenho certeza que o povo da Paraíba quer andar sempre para a frente, não voltar atrás”, finalizou.

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba

Notícias relacionadas