Finalmente! Após reclassificação, aeródromo de Cajazeiras é autorizado a operar com aeronaves de médio e grande porte!

Por - 30 de julho de 2018 - 11:15

Reclassificação foi autorizada pelo DECEA após cumprimento de exigências quanto à requalificação do pavimento da pista!

Finalmente! Após reclassificação, aeródromo de Cajazeiras é autorizado a operar com aeronaves de médio e grande porte!

Segundo publicação no site AISWEB (um dos sites que compõem o DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo de inteira responsabilidade da Força Aérea Brasileira, contrariamente ao que fora publicado em outros sites) o Aeroporto Pedro Vieira Moreira, em Cajazeiras, obteve autorização daquele órgão fiscalizador e a partir do último dia 24/07/18, já estão permitidas operações de pousos de aeronaves de médio e até grande porte, modelo ATR 72, com capacidade de 74 passageiros, com exceção dos aircrafts (aeronaves a jato nas quais a cabina possui duas coxias, ou corredores, com sete ou mais assentos por fileira, as quais são geralmente utilizadas para voos longos e intercontinentais acomodando maior número de passageiros e quantidades de carga que aeronaves de menor capacidade.).

Confira publicação oficial que pode ser acessada através do link: https://www.aisweb.aer.mil.br/?i=aerodromos&codigo=SJZA!

Após a conclusão de estudos de sondagens realizados na pista do Aeródromo de Cajazeiras, a o índice de resistência PCN (Pavement Classication Number) daquele equipamento aeroviário foi reclassificado, passando de 6 para 26. O novo parâmetro se refere ao índice que atesta a alta resistência da pista agora apta a receber aeronaves de médio e até grande porte, com capacidade para até 74 passageiros.

Confirmada à imprensa local pelo presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Cajazeiras), Alexandre Costa, a novidade vem sendo comemorada pelos empresários e população em geral, que agora veem o sonho se tornar realidade.

Com isto, a expectativa agora é para que se iniciem com a maior brevidade possível, os tão esperados voos de cargas e os voos comerciais de passageiros, tendo em vista uma significativa injeção na economia local, bem como a geração de emprego e renda e o rápido deslocamento para estados mais longínquos.

Da Redação.

Notícias relacionadas