Calote da prefeitura gera processo contra o prefeito de Cajazeiras!

Por - 26 de julho de 2018 - 17:18

Órgão ministerial se decidiu pela instauração de Inquérito Civil Público contra o prefeito José Aldemir!

Calote da prefeitura gera processo contra o prefeito de Cajazeiras!

O prefeito de Cajazeiras é um verdadeiro adepto da modalidade do coronelismo. Porém, nem todo dia é dia santo! Eis que o tiro finalmente começa a sair pela culatra!

Após desafiar publicamente e por incontáveis vezes o Ministério Público Estadual da Paraíba, se declarando detentor de um poder intocável, finalmente haveremos de ver uma reação em cadeia sendo gerada por aquele órgão ministerial que no uso de suas atribuições, resolveu por fim,  pela instauração de Inquérito Civil Público sob o nº 038.2018.001936 com o condão de apurar a suposta prática de improbidade administrativa, havida por força da ausência dos repasse dos valores descontados da folha salarial dos servidores públicos do município de Cajazeiras, referentes aos períodos de julho/2017, novembro/2017, dezembro /2017, janeiro/2018, fevereiro/2018 e março /2018 para o Banco Santander (Brasil) S.A.

Veja o que diz o despacho da representante do MPPB neste sentido:

EXTRATO DE PROMOTORIA Nº 61/2018 João Pessoa, 24 de julho de 2018

Inquérito Civil Público nº: 038.2018.001936

Noticiante: PROMOTORIA DE JUSTIÇA CUMULATIVA DE CAJAZEIRAS

Noticiado: PREFEITURA MUNICIPAL DE CAJAZEIRAS

Objeto: Apurar suposta prática de ato de improbidade administrativa, em razão do não repasse de valores descontados da folha salarial dos servidores públicos do Município de Cajazeiras/PB, nos períodos de julho/2017, novembro/2017, dezembro/2017, janeiro/2018, fevereiro/2018 e março/2018 para o Banco Santander (Brasil) S.A., em decorrência de convênio celebrado para concessão de operação de empréstimo/financiamento com consignação em folha de pagamento – servidores estatutário, pelo atual gestor municipal de Cajazeiras.

Cajazeiras-PB, 24 de julho de 2018

SARAH ARAÚJO VIANA DE LUCENA

4ª Promotora de Justiça de Cajazeiras”

O total descaso da atual gestão, nesta postura clara a prática de ilicitudes e irresponsabilidades, inevitavelmente teria reflexos danosos e negativos na vida destes servidores públicos que já contraíram estas dívidas, sob a garantia de que o repasse estava sendo feito de forma regular. Ledo engano!

O maior agravante de toda esta celeuma, é que estes cidadãos já se encontram neste momento com os seus nomes negativados junto aos órgãos de proteção ao crédito por culpa de uma dívida que não se recusaram voluntariamente a quitar e sobre a qual sequer tinham conhecimento.

O prefeito juntamente com os seus subordinados, fazem chacota do Ministério Público afirmando de forma reiterada não temerem qualquer tipo de punição; se portam com irreverência e desdenham do órgão ministerial, como se estivessem à margem da lei e da ordem.

A gestão atual, insensível que se demonstra, promove desmandos de todas as ordens, cometendo a ilegalidade, no que se apropria indevidamente do erário público submetendo os servidores públicos municipais a situações vexatórias constantes.

Para onde está indo todo o montante que deveria ser utilizado para quitar as parcelas dos consignados? Porque todos os meses a parcela é descontada no contracheque do servidor? Se não está indo para os bancos, para onde está indo? É justamente a estes ditos questionamentos, para dirimir todas estas questões que vem à baila que o MP pretende (e certamente o fará com base nos rigores da lei) dar aos servidores prejudicados e à sociedade, respostas satisfatórias.

Da Redação.

Notícias relacionadas