João Cláudio Genu, aliado de Zé Aldemir, é preso pela PF em Brasília!

Por - 22 de maio de 2018 - 12:12

Genu foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão por corrupção, no âmbito da Operação Lava-Jato!

João Cláudio Genu, aliado de Zé Aldemir, é preso pela PF em Brasília!

João Cláudio Genu, ex-assessor do partido de Zé Aldemir, foi preso e levado para o Presídio da Papuda, pela PF em Brasília na tarde de ontem (dia 21/05/18).

João Cláudio Genu, ex-assessor do Partido Progressista (PP), é do mesmo partido ao qual é afiliado o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir Meireles e também o ex-ministro das Cidades e Presidente Estadual do PP, Deputado Federal Aguinaldo Ribeiro, forte aliado político do Governo Temer, foi preso pela Polícia Federal em Brasília nesta segunda-feira (21/5).

A partir de então, começará a cumprir os nove anos e quatro meses de prisão aos quais foi condenado por corrupção, através da Operação Lava-Jato. De acordo com informações da TV Globo, o ex-assessor foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda.

Condenado pelo juiz Sérgio Moro em dezembro de 2016 a oito anos e oito meses de cadeia, Genu teve a pena aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). O ex-assessor chegou a ser preso após a condenação, mas acabou solto em abril do ano passado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).
Genu, que também foi assessor do deputado federal José Mohamad Janene (morto em 2010), é acusado de participar de um esquema de corrupção em contratos da Petrobras. As investigações apontam que ele era beneficiário de parte da propina que era dirigida à Diretoria de Abastecimento da estatal. Ele também seria o responsável por repassar um percentual das verbas ao partido.
Ainda de acordo com as investigações da Lava-Jato, Genu teria sido o mentor do esquema de propina instalado na Petrobras entre 2004 e 2014, período em que o engenheiro Paulo Roberto Costa  comandava a Diretoria de Abastecimento. À época em que Janene era vivo, seu então assessor ficava com 5% da propina. Após a morte do deputado, esse percentual subiu para 30% e era dividido com o doleiro Alberto Youssef.
A Operação identificou repasses de cerca de R$ 6,3 milhões ao ex-assessor do PP (entre reais, dólares e euros). Além da pena de prisão, Genu também foi condenado a ressarcir a Petrobras em R$ 3,12 milhões.
Da Redação, com informações do Correio Braziliense.

Notícias relacionadas